Portal Yoga Brasil

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Bandha Mulbandha MULA BANDHA: O FECHO DA RAÍZ

MULA BANDHA: O FECHO DA RAÍZ

Carolina Azevedo
DESCRIÇÃO E COMENTÁRIO

O Hatha Yoga Pradipika (3.61 – 3.69) ensina:

Mula bandha consiste em pressionar o períneo com o calcanhar e contrair os esfíncteres anais para fazer subir apana. Através da contração do muladhara, a corrente do prana, que normalmente flui para baixo, é forçada a subir (pela sushumna). Os yogis chamam este exercício de mula bandha. Pressione o períneo com o calcanhar e empurre com força repetidas vezes até que apana suba. Através de mula bandha, tanto o prana e apana quanto nada e bindu se unem e proporcionam o êxito no Yoga, sem a menor dúvida. Com a prática constante de mula bandha se alcança a união de prana e apana, se reduzem consideravelmente as secreções [de urina e fezes] e os mais velhos se rejuvenescem. Quando apana se eleva e alcança a zona do fogo (manipura chakra, no plexo solar), alimenta e intensifica a chama (do fogo interior). Quando apana e o fogo se unem a prana, quente por natureza, o fogo corporal se intensifica sobremaneira. Graças ao calor gerado, a kundalini dormente percebe a forte energia e desperta de seu sonho como uma serpente golpeada por um pau, que silva e se ergue. E então penetra a sushumna, como uma serpente que entra em sua toca. Assim, o yogi deve praticar sempre mula bandha.

A palavra sânscrita mula significa "raiz", "base", "fonte" ou "causa". Neste contexto se refere à raiz da espinha, o períneo, está localizado o muladhara chakra, que é o assento da kundalini.

COMO EXECUTAR

Mula bandha pode ser executado tanto em posturas estáticas quanto em dinâmicas, ou posturas em pé e sentadas igualmente, já que sua execução independe da postura tomada. E embora a citação do Hatha Yoga Pradipika ensine a fazer este exercício em siddhasana, as orientações a seguir referem-se aos primeiros contatos com este exercício. Após ter entendido bem como é o mecanismo do mula bandha, este poderá ser feito em qualquer outra postura.

1 - Assuma uma posição de cócoras, com os pés firmemente presos ao chão. As mãos podem ficar soltas entre as pernas ou segurando uma na outra para aumentar o equilíbrio;

2 - Faça uma longa inspiração e ao exalar, contraia o períneo (veja desenhos abaixo). Não solte o períneo durante a exalação. Ao inalar novamente, relaxe a zona contraída. Quando essa primeira etapa estiver vencida, você poderá manter o bandha ativo durante toda a inalação e exalação;

Localização do Períneo MasculinoLocalização do Períneo Feminino

Visão anatômica dos músculos do períneo feminino e masculino


3 - Quando terminar o exercício, estique as pernas lentamente e relaxe o corpo;

4 - Observação 1: não contraia os glúteos ou órgãos genitais. Embora isso demande um bom tempo de prática, apenas o períneo deve ser ativado;

5 - Observação 2: mula bandha é uma contração contínua. Uma vez que foi iniciado, ele deverá ser relaxado apenas ao final do exercício, exceto quando ainda não há força o suficiente para ser mantido por um longo período.

DURAÇÃO E REPETIÇÃO

Dentro do exercício indicado acima, onde a posição é de cócoras (já que esta facilita a atenção na pélvis), o mais difícil é manter a posição das pernas. Pratique algumas vezes mantendo a posição, com o único objetivo de aprender a focar a atenção no períneo. Com a prática, a posição de cócoras pode ser abandonada e mula bandha poderá ser praticado em qualquer postura em pé, sentada ou deitada. Não há necessidade de reter o ar aqui, podendo-se respirar normalmente. Não há limite de tempo para este bandha, exceto a própria capacidade individual de mantê-lo sem desconforto.


INSERÇÃO NA PRÁTICA

Como dito acima, na medida em que esse bandha for dominado ele poderá ser praticado durante toda a execução dos asanas, pranayamas e mudras. Porém, se feito isoladamente, pode ser logo ao início da prática como uma alternativa de "integração" e "enraizamento". Dependendo do nível do praticante, esse bandha pode ser mantido inclusive na meditação.


EFEITOS

Através da contração muscular uma maior irrigação sanguínea acontece nesta área, e dessa forma há um estímulo dos nervos pélvicos e tonificação dos sistemas urogenital e excretório. Estimula o peristaltismo intestinal, evitando assim a constipação e conseqüentemente inúmeros problemas de saúde. Seu efeito mais importante é proteger o homem do câncer de próstata e a mulher de problemas vaginais e do útero, podendo ser utilizado durante toda a gestação como um excelente exercício para antes e depois do parto.

Sua prática também é útil para auxiliar no controle sexual, já que auxilia a manter a energia do prana diretamente para cima.

A nível sutil, sua prática ajuda a dar um sentimento de "enraizamento", força e coragem.


PRECAUÇÕES E CONTRA-INDICAÇÕES

Como esse bandha pode ser executado sem a parada respiratória, pessoas com problemas de pressão ou cardíacos podem realizá-lo sem problemas. Contudo, pessoas com problemas na região perineal ou que tenham algum tipo de moléstia na região genital devem antes procurar um médico.

Fonte: Inspire Yoga

 

 

Receba novidades





revista-vedanta

Dê uma mão!

de-uma-mao

Gostou do Portal?
Apoie esse projeto independente através de compras na nossa Loja ou clicando nos links patrocinados abaixo: