Portal Yoga Brasil

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Contos Indianos O Casaco Azul e Vermelho

O Casaco Azul e Vermelho

Henrique Saad

A aldeia se aninhava na densa selva africana. A vida transcorria lenta e tranquila, e muito pouco mudava a cada dia, e a cada ano. Havia duas pessoas que exemplificavam a harmonia da aldeia.

Tinham sido os melhores amigos durante quarenta anos, e viviam em duas casas em lados opostos da rua central. Esses amigos nunca tinham brigado. Durante toda sua vida, eles amaram as mesmas músicas, a mesma comida, os mesmos passatempos prediletos. A aldeia também tinha um trapaceiro notório, que estava determinado a fazê-los brigar. Ele ponderou durante um longo tempo sobre como fazê-los divergir um do outro. Seria uma tarefa difícil, porque eles viam tudo da mesma forma.

 

Depois de muitas horas de elucubrações, ele inventou um plano diabólico. Fez um casaco que era diferente de cada lado. De um lado era azul, e do outro, vermelho. Ele caminhava em uma direção pela rua usando o casaco todos os dias. No fim da rua ele tirava o casaco e o escondia em uma bolsa. Mais tarde ele seguia seu caminho, com o casaco escondido, de volta a sua casa.

E depois de alguns dias, ele deixou o casaco em casa e dirigiu-se ao primeiro vizinho: “ - Você viu um homem estranho passando por aqui, usando um casaco esquisito?”.

“ - Sim, na verdade em vi”, disse o homem. “ - Ele passou por aqui várias vezes, e eu estava me perguntando por quê”.

O trapaceiro, que tinha exposto apenas o lado azul do casaco para o homem, disse: “ - Sim. E não era um horrível e ordinário casaco vermelho que ele estava usando?”.

“ - Vermelho? Não, era azul”.

“ - Não, não. Seus olhos deveriam estar desatentos. Ele vestia vermelho. Você deveria perguntar ao seu vizinho do outro lado da rua”.

O outro amigo tinha visto apenas o lado vermelho do casaco, portanto é claro que quando o primeiro vizinho lhe perguntou qual a cor o casaco do homem estranho, o vizinho respondeu que era vermelho.

“ - Não”, disse o primeiro amigo. “ - Era azul”.

Os dois amigos nunca tinham discordado antes. Nenhuma vez em quarenta anos. A sensação era nova, e os assustou. Algo estava errado com o universo. Eles sempre concordavam entre si sobre tudo. Era em parte uma forma de eles saberem que estavam certos. Agora, cada amigo achava que o outro estava louco. Cada um queria desesperadamente que o outro amigo concordasse com ele. Eles tinham-se apoiado um no outro para concordar sobre tudo todas as suas vidas. Não concordar um com o outro era muito assustador. Logo seu medo se transformou em raiva. Os homens começaram a empurrar um ao outro. Ele logo isso se transformou em luta, bem no meio da rua principal da cidade.

“- O casaco era vermelho!”, gritava um.

“- Era azul!”, gritava o outro.

“- Não, não, os seus olhos deviam estar fechados. Ele estava vestindo vermelho!”.

“- Eu sou testemunha! Minha família viu. Ele vestia azul!”.

E assim prosseguiram.

O plano do embusteiro foi um sucesso. Ele tinha feito os dois amigos verem o mesmo evento de forma diferente. E eles tinham brigado. Logo as pessoas na aldeia que não tinham visto o homem do casaco tomaram partido, e elas também começaram a brigar. Apenas o embusteiro sabia que a verdade era que cada um estava meio certo.

Fonte:  http://worldoftales.com/

Hari Om Tat Sat

Henrique Saad: no caminho da Yoga desde 2005, dá aulas e retiros na Chácara Anahata, em São Roque -  www.chakraanahata.org  --  Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

 

 
Henrique Saad Instrutor de Yoga na Chácara Anahata (São Roque-SP)


Receba novidades





revista-vedanta

Dê uma mão!

de-uma-mao

Gostou do Portal?
Apoie esse projeto independente através de compras na nossa Loja ou clicando nos links patrocinados abaixo: