Portal Yoga Brasil

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Meditação Artigos Meditação - A Ciência da Autorealização

Meditação - A Ciência da Autorealização

Lotus

med


Meditação é uma técnica psicoespiritual criada pelos iogues desde tempos remotos, cujo método consiste em abstrair as vibrações sensorias, concentrar a mente e manter a ideação em um propósito sublime.






Tal processo harmoniza as vibrações da mente, deixando-a num estado semelhante ao de um lago tranquilo, quando se pode perceber o brilho refletido do Ser Interior mais refulgente. Sua prática regular acarreta vários benefícios, dentre os quais podemos citar: maior autoconfiança, expansão mental, inteligência emocional, firmeza de caráter, amor à natureza e aos demais seres vivos.

Também, por seus efeitos positivos para o cérebro e o coração, a meditação vem sendo pesquisada e recomendada por médicos para auxiliar as pessoas em vários aspectos da vida cotidiana, como, por exemplo, relaxar, concentrar-se, prevenir as doenças relacionadas ao stress, etc, e assim possibilitar melhores resultados no trabalho e nos estudos.
No decorrer da história humana, sempre se tem afirmado que as coisas duradouras na vida estão na mente e no espírito de cada pessoa. Na antiguidade alguns sábios desenvolveram as ciências da ioga e meditação.

Estas técnicas refinadas são benéficas para todos os níveis da vida humana. Curam e fortalecem o corpo físico, promovem a concentração e o equilíbrio da mente, e proporcionam paz profunda e felicidade ao espírito, para expandir a mente e elevar a consciência, os iogues desenvolveram a meditação.

Esta técnica mental incrementa a memória e a habilidade intelectual. Também tira o stress e desenvolve compreensão e tolerância. A meditação aumenta a força de vontade e a capacidade de auto-controle, adquirindo seu praticante uma mente saudável, equilibrada e uma personalidade integrada.

Assim como não podemos ver claramente o reflexo da luz em um lago turbulento, da mesma forma que não podemos alcançar a paz e a bem-aventurança de nosso Ser interior - a Consciência Suprema - por causa das impurezas e turbulências da nossa mente inferior.

O processo de auto-realização é o esforço de elevar a mente passo a passo, através de todos os seus níveis, e purificá-los um a um.

É preciso que se experimente e purifique cada uma das camadas; nenhuma pode ser negligenciada.

Através do desenvolvimento integral do corpo, mente, e espírito, uma consciência expandida surge de forma natural, a qual proporciona uma compreensão mais profunda da própria vida e de todo o universo.

Esta expansão mental ajuda o ser humano a identificar-se com as alegrias e os sofrimentos, tanto dos seres humanos, quanto dos demais seres vivos que compartilham este planeta.

Um respeito tão profundo e uma preocupação por todos as expressões de vida servem de estímulo para trabalhar de forma altruísta pelo aperfeiçoamento de toda a humanidade.
A meditação é apenas concentrar-se em uma palavra ou ação?
A concentração é uma parte da meditação, mas essa última compreende muitas coisas mais. Existe uma diferença entre concentração e meditação, tanto na técnica como em seu objetivo final. Na meditação a técnica é muito importante. Existe um provérbio antigo na tradição Yogue que diz: “No que pensas te transformas”. Concentrar-se na palavra “uno” fixando-se na chama de uma vela ou algum outro artifício não pode conduzir-nos ao nosso próprio ser. Estas técnicas são úteis para o desenvolvimento mental mas a meditação leva-nos ao desenvolvimento espiritual. Na meditação buscamos o desenvolvimento do nosso ser até que sejamos totalmente conscientes do nosso potencial humano mais elevado. A verdadeira meditação não aceita nenhuma concepção limitada de nosso ser. Nos conduz ao infinito, que é o que está em definitivo por detrás da técnica.
A meditação é apenas um processo para o relaxamento e a paz mental?
Os exercícios de relaxamento são benéficos para a prática da meditação, mas representam apenas um ponto de partida. Igualmente a paz mental só é um dos muitos benefícios da meditação. A meditação nos faz alcançar o conhecimento mais profundo de nós mesmos, no sentido mais amplo da palavra. Algumas vezes o conhecimento de si mesmo é doloroso e perturbador. Às vezes a meditação nos levará a partes problemáticas de nossa mente. Podemos sentir, nesses momentos, que já não estamos no caminho da meditação; mas na realidade esses problemas, se são entendidos adequadamente, podem ser de ajuda para nossa própria evolução. Haja o que houver dentro de nós, devemos aceitar. Esta auto-aceitação é o primeiro passo para a auto-transformação. Assim podemos continuar sondando os níveis mais profundos de nossas mentes. Se é certo que uma das metas finais da meditação é alcançar o estado de bem-aventurança, de verdadeira paz interior, também é verdade que o processo de meditação nos leva lentamente mas com segurança à paz mental Mas devemos lembrar que a prática da meditação com consciência também nos mostra a dor que existe dentro de nós e ao nosso redor. É por isso que a meditação ajuda a desenvolvermos nossa compaixão.
Não posso meditar porque:
a) minha mente é muito instável;
b) é muito incômodo para mim estar sentado por muito tempo;
c) minha casa tem muito barulho;
d) não tenho tempo;
e) não tenho autodisciplina.
Estas são só cinco das desculpas mais comuns que as pessoas dão para não meditar. Todos (inclusive quem medita regularmente), tem uma lista. Não obstante, milhões de pessoas meditam com regularidade. Se fizéssemos uma pesquisa entre meditadores assíduos acharíamos que virtualmente todos tiveram cada um dos mencionados problemas (e freqüentemente muitos outros mais). Então, como puderam aprender? Bem, eles aceitaram que aprender algo que vale a pena requer esforço. Obviamente aprender meditação, que inclui descobrir tantas facetas ocultas do nosso ser, pode requerer algum esforço especial, sobretudo no inicio. O que devemos fazer é começar a considerar nossos obstáculos como desafios. A vida sempre está cheia de desafios. Superá-los é ir em frente para desenvolver nossa vontade e força interior. Assim é que aprendemos e crescemos.
A meditação é estrangeira, esotérica e acientífica?
Na verdade a meditação é uma prática universal, que vem sendo utilizada em todo o mundo por mais de mil anos. Apesar de alguns povos estarem mais voltados à prática e a filosofia da meditação, esta possui raízes em todas as tradições espirituais do mundo. E apesar do mito no qual a meditação às vezes é algo oculto, a realidade é que qualquer pessoa pode aprender a meditar. É importante uma instrução apropriada e a prática regular, como acontece para se aprender a tocar um instrumento musical. As técnicas de meditação foram desenvolvidas sistematicamente durante pelo menos 7000 anos. Incontáveis meditadores experimentaram uma infinidade de técnicas no laboratório de suas mentes. Não há acaso em uma técnica de meditação apropriada. Quantas outras técnicas de aprendizagem foram desenvolvidas e permaneceram durante tanto tempo? A meditação hoje é uma das que permanece, porque é uma ciência intuitiva. Esta ciência intuitiva é tão forte que a física ocidental está recém começando a entender aspectos da verdadeira natureza da realidade no universo, que foram compreendidos e descritos por meditadores a mais de mil anos. Ao invés de chamar a meditação de acientífica, necessitamos ampliar nossa noção do que é ciência.

A meditação é puramente um exercício mental?
Sem dúvida a meditação começa na mente. Culmina, porém no coração, nas profundezas do coração, onde sentimos amor por toda a família universal, porque à medida que nos aprofundamos nos níveis mais profundos da mente, descobrimos que nossas diferenças externas desaparecem. Por isso, não é surpreendente que muitos caminhos meditativos também façam uso de práticas de devoção como canto, dança e músicas espirituais, compartilhando com os demais. No caminho espiritual, uma mente e um coração abertos andam juntos.

A meditação é muito complexa e difícil para que eu possa aprendê-la?
Na realidade a técnica inicial de meditação é surpreendentemente simples. É o processo de perseverar na prática regular da meditação que toma tempo e empenho. O paradoxo da meditação é que pode-se receber o ensinamento básico em questão de minutos, e logo passar o resto da vida descobrindo toda a sabedoria oculta que esse ensinamento guarda.

Se medito profundamente com muita freqüência, perderei contacto com meu sentido de ser?
Não perdemos nosso sentido de ser quando meditamos. Ao contrário o aprofundamos e ampliamos. Exploramos partes de nosso ser que apenas sabíamos que existiam, e experimentamos nossa conexão com os outros. Assim, obtemos um sentido completamente novo de ser que é muito mais bonito e bem-aventurado do que poderíamos haver imaginado anteriormente.

A meditação se opõe às minhas crenças e práticas religiosas?
Uma das metas da meditação é dar a cada indivíduo uma experiência da realidade espiritual que falaram todos os grandes mestres e santos. Assim, a meditação te fará fervoroso ajudando-te a lograr um entendimento maior e melhor sobre tua religião.

A meditação me atribuirá bem-aventurança facilmente?
Muitos novos meditadores desanimam se não têm algum tipo de experiência de bem-aventurança em um breve espaço de tempo. Se bem que é certo que algumas pessoas têm boas experiências muito rápido, a grande maioria deve praticar assiduamente durante meses ou ainda anos antes de começar a alcançar esses estados elevados de consciência. O que geralmente ocorre é que transformamo-nos de forma leve e sutil, de maneira que talvez não nos damos conta ou podemos reconhecer totalmente. A meditação é um processo lento, mas firme de crescimento interno e expansão da consciência. É lento por que é real. As mudanças freqüentemente são profundas em nosso interior desconhecido. A rapidez e notoriedade com que a pessoa se transforma é um assunto totalmente pessoal. Assim como não podemos julgar um livro por sua capa, tampouco podemos julgar o progresso espiritual e a auto-realização mediante a transformação externa. É importante recordar que a maioria de nós passou períodos de tempo muito longo observando somente o lado exterior. Se estivemos preocupados, a maior parte do tempo, somente com o lado exterior, por 20, 30, 40 ou mais anos, podemos por acaso esperar voltar para nosso inteior e vermos claramente em umas poucas semanas? Em sânscrito, a mãe de todas as línguas indo-européas, a meditação é denominada SADHANA. Sadhana significa o esforço feito para nos tornarmos completos. Assim o que é mais importante na prática da meditação é a sinceridade e o esforço.
fonte ananda marga

 

Receba novidades





revista-vedanta

Dê uma mão!

de-uma-mao

Gostou do Portal?
Apoie esse projeto independente através de compras na nossa Loja ou clicando nos links patrocinados abaixo: